quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

DDN

Diz que é um dia consagrado em lei.

Diz que é um dia que visa sensibilizar os jovens para a temática.
Diz que é um dia distinto e marcante para a sua formação enquanto cidadão.
Diz que nos termos da lei em vigor, se encontra convocado.
Diz que as acções de informação e divulgação vão proporcionar-lhe a oportunidade de partilhar a experiência de profissionais das Forçar Armadas.
Diz que no final ficará a saber como se tem garantido e continuará a garantir a Segurança do nosso País.
Diz que ser-lhe-á assegurada alimentação e transporte;
Diz que a eventual falta laboral ou académica será justificada.
Diz que é o:

DIA DA DEFESA NACIONAL


Está sim? É da tropa?
Hoje o meu filho mais novo foi lá ver como era para contar como foi.
7H50 deveria estar em frente da Câmara Municipal de Oeiras.
Quando por lá passei, às 7H40, deparei-me com uma vintena de miúdos de 18 anos, encostados à parede da Câmara Municipal como se aguardassem o pelotão de fuzilamento.
Não vi meninas.
De fronte 2 autocarros perfilavam-se, lado a lado, à espera de os transportar até ao Alfeite.


Diz que é um dia perdido -quando ele tinha tanto a ganhar indo para a Universidade- e que mais vale jogar à Batalha Naval.
Diz que é uma carta mal escrita em que o assunto vem antes do destinatário.

6 comentários:

Precious disse...

Se não fosse, teria chatices. Assim, pôs a conversa em dia com os outros mancebos.

Patti disse...

Antes tornavam-se homens. Agora acho que isso só acontece lá para os 35.
Está resolvida a questão: os homens já não vão à tropa e é o que se vê.

Noiva Judia disse...

E quanto mais não seja, serve para os demover de seguir uma futura carreira militar...

paulofski disse...

Pelo menos não se voluntariam sem antes saberem o que perdem. Eu, no dia da inspecção, senti-me obrigatório depois de uma lavagem mental e ser todinho inspeccionado da cabeça aos pés. Uma perca de tempo. Depois foram 15 meses a assentar praça e a marchar pela pátria (cof, cof)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Também "fui às sortes". Como nunca ganhei nada, pensava que me iam mandar embora, mas afinal lá fui parar com os costados. Em boa hoa, digo-o hoje, porque vivi o 25 de Abril e o PREC bem por dentro.
PS: E eu que já cá não vinha desde que li aquele post a dizer que só voltava em Fevereiro!
Bem, vou pôr a leituras atrasadas em dia.

Gi disse...

CBO: Eu não disse que SÓ voltava em Fevereiro; disse que estaria MAIS ausente no meu e nos vossos blogues (por motivos que agora já sabe) até Fevereiro de 2010. :)