domingo, 4 de outubro de 2009

CÃO COMO NÓS

Sei que andas por aí, oiço os teus passos em certas noites, quando me esqueço e fecho as portas começas a raspar devagarinho, às vezes rosnas, posso mesmo jurar que já te ouvi a uivar, cá em casa dizem que é o vento, eu sei que és tu, os cães também regressam, sei muito bem que andas por aí.
Manuel Alegre

4 comentários:

Fatima disse...

Quando a mente quer...

BlueAngel disse...

eu li este livro. muito bom e nem sou uma pessoa de animais. :-)

Lúcia disse...

Ena... até onde eu estendia isto!

CPrice disse...

ui ..!