sexta-feira, 2 de outubro de 2009

ELE...

deambulava pela cidade entregue aos seus pensamentos.
Sentia-se solitário e triste porque não arranjava namorada.
Todos os seus amigos arranjavam e até mudavam de namorada com facilidade.
Apenas ele permanecia solitário e triste porque não arranjava namorada.
Era, no entanto, o rapaz do grupo que mais amigas tinha; todos os seus amigos o invejavam, porque não tinham amigas, mas ele ...
Ele trocaria de bom grado todas as suas amigas por uma namorada.
Ainda perguntou às suas amigas se alguma lhe daria a honra de namorar com ele, mas elas preferiam ser suas amigas; diziam que era insubstituível como amigo, ao passo que os namoros raramente eram para sempre.
Mas ele sentia-se especialmente solitário e triste naquele dia e, entregue aos seus pensamentos, atravessou a rua.
Acordou no hospital; a seu lado, na cama, encontravam-se duas canadianas só para ele!

5 comentários:

drengo disse...

...e capazes de o amparar como nenhuma outra antes delas ;)

aespumadosdias disse...

História triste! Ainda se fossem mesmo cidadãs do Canadá...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Ai que humor negro, Gi!

Flip disse...

um final acidentado Gi, ele não merecia
:-(

PAS[Ç]SOS disse...

Espero que não tenham passado de simples namoradas. Coitado do rapaz não mereceria amigas assim!