quarta-feira, 4 de novembro de 2009

VAIS DE METRO, SATANÁS, NÃO VAIS?


Desde que afixaram esta imagem por tudo o que é sítio, ou seja, desde 2ª feira ( ou se calhar Domingo, altura em que graças a Deus e a todos os Santos não ando de metro e não vejo Satanás), que o metropolitano de Lisboa tem feito questão de mostrar que, com 50 anos, se anda trôpego, coxo, já que, ainda 4ª feira se perfila, e já conto como voltas no meu estômago imensos atrasos e avarias .... para (não) variar.
Para além disso, o prolongamento da Linha Vermelha até S. Sebastião, deixa-me atrofiada, irritada e com um grande mau feitio ( confesso que é preciso pouco para o despoletar).
Prolongaram a linha do metro: Fantástico.
Aumentaram o número de carruagens por composição: Fantástico.
O número de composições em funcionamento mantém-se o mesmo: Irritante.
O tempo de espera pela composição aumentou: Frustante!
Resumindo e concluindo: Demoro agora muito mais tempo a chegar aos meus destinos, com muito mais gente, muito mais atropelos, muito mais confusão, muito mais vernáculo despendido por centímetro quadrado.
As passadeiras/escadas rolantes umas vezes estão on outras vezes estão off.
A hora de almoço não é considerada hora de ponta e, se temos apenas uma hora para almoço e trabalhamos em Chelas, é melhor ficarmos onde estamos.
Na semana passada demorei mais tempo a fazer o trajecto a esta hora do que demoro a fazê-lo ao fim do dia. E-S-P-E-C-T-A-C-U-L-A-R!!!!
Voltando ao dia de hoje:
Um metro avariado, de portas abertas e luzes acesas e um maquinista sem gramofone aos berros: Não entrem, não entrem, que este metro está avariado!
Duas composições de metro estacionadas ao fundo do túnel descansando os seus longos e doridos corpos cansados de 50 anos a transportar Lisboa, Cascais, Cacilhas e, claro:Satanás.
Foi preciso vir uma outra composição em contramão e cheia, para a confusão ser ainda mais interessante: a gare cheia de pessoas a quererem entrar, a gare cheia de pessoas a quererem sair.
Instalados, finalmente, no metro, como nos comboios de Auschwitz só que em photoshop, ficamos à espera que viessem ainda mais pessoas a correr e que vendo este metro cheio e o outro vazio, de portas abertas e luz acesa resolveram, os espertos, precipitarem-se para lá e, novamente, para cá quando o outro maquinista já rouco, a precisar de um stresstabs e de uma aspirina efervescente, entoava o refrão: Não entrem, não entrem, que este metro está avariado!

Finalmente toca a campainha de fechar as portas da nossa composição e lá sai ela desvairada com uma voz interior (Satanás sabe ser mavioso quando quer) dizendo: Por favor facilitem as entradas e as saídas!
E a nós, utentes, facilitem-nos a vida, porra!




8 comentários:

Goldfish disse...

Não invejo a sorte de quem tem de andar de metro todos os dias para ir trabalhar e regressar a casa... Agora, só para levantar o moral vou contar uma história: em adolescente amava uma colecção de livros de aventura chamada Triângulo Jota. Os 3 personagens principais, meninos da cidade, foram visitar a avó de um à santa terrinha, perdida no Portugal profundo, onde alguém se lembra de dizer "Vade Retro, Satanás". Um dos personagens, ao ouvir isto, pergunta a outro porque é que estão a mandar o diabo andar de metro... Agora pode parecer a piada mais batida do mundo mas consegue sempre trazer-me um sorriso à boca, em memória do ataque de riso, com direito a lágrimas e tudo, que provocou em mim na altura. E hoje também, porque com o teu título fizeste-me recordar, mais uma vez, a adolescente que se perdia nestes (e noutros) livros, de tal maneira que não ouvia quando lhe dirigiam a palavra. Nada mau, para um post a ralhar com o Metro de Lisboa... :)

aespumadosdias disse...

É a vida...
Quem anda de metro por vezes tem que aguentar essas situações.

Vício disse...

Lisboa é mesmo pequena!
não fazia ideia que cabia numa carruagem de metro...

Precious disse...

Olha que eu tenho quase a certeza que Satanás anda de Rolls Royce... Ou será Jaguar, como o do meu boss? ;)
A mim o prolongamento da linha ajudou, demoro menos 15m entre casa e trabalho.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Desculpe lá, Gi, mas o prolongamento da linha Vermelha ( apesar da cor horrível) faz-me um jeito danado!

PB disse...

Em hora de ponta parece mesmo que estamos enfiados numa latinha de conserva...
Beijinhos

paulofski disse...

A minha única experiência no metro lisboeta foi uma viajem da estação do Oriente até ao Jardim Zoológico, ida e volta. Lembro-me que mudei de linhas várias vezes, não sei se alguma delas foi a vermelha nem tão pouco se o Satanás viajou, mas acho que não! Acho que nessa altura o Santana deveria estar na Camara entretido com outras avarias!

Pink Panther disse...

Que bom não ter que andar de metro!!! UFFFFF