terça-feira, 23 de novembro de 2010

CONTO BIOLÓGICO

A flor da pele desabrochou poro a poro.
Virou-se para a planta do pé e perguntou?
- Pertenço-te?
- Não. Pertences à raíz dos cabelos.
Ao olhar para cima as maçãs do rosto sorriram para ela.

4 comentários:

Vício disse...

e as palmas das mãos acariciaram-nas...

paulofski disse...

E o nariz empinou-se e torceu a penca por não contar nada para o conto!

:~||

Kok disse...

A língua portuguesa não é só traiçoeira; é também poética, alegre e brejeira.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

E os óculos? O que aconteceu aos óculos que encobriam as maçãs do rosto?