quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

SOPA DE LETRAS PORTUGUESAS#1


Não venhas tarde (estão sempre a tempo de carregarem no link)

Não vieste tarde?!!!
Disse-lhe eu de fininho
sem nunca fazer alarde
do que tinha escondidinho
Não vieste tarde?!!!
Podes crer que de hoje não passa
E antes que se fizesse mais tarde
Dei-lhe com o rolo da massa.

Tu sabes bem
que eu não sou de me ficar,
o que é uma qualidade também,
Por não te saberes controlar
estás neste momento ouvindo
uns galos no toutiço
Mas sabes? -digo-te rindo-
existe pior do que isso!


Não vieste tarde?!!!
Digo-lhe apagando o lume
enquanto a comida arrefece
fecha os olhos num deslumbre
"É bacalhau com feijão frade"
Diz-me olhando a panela
"Isso é para quem virá mais tarde"
"Para ti é galo de cabidela!"

Com alegria
Vi que ficaste com medo
Que eu te dissesse "mais valia
que não tivesses vindo cedo".
Por ironia
Pois o último milho é dos pardais
No dia que chegaste cedo
Vieste tarde demais.

O que se terá escrito por aqui com o mote "Não venhas tarde"?

10 comentários:

Si disse...

Estou de acordo com ambas as versões. Sinceramente, até mais com esta,pois claro.
O pormenor do rolo da massa, no entanto, para mim tem um senão:Como já é um objecto pouco tradicional nas casas, onde o tempo para estender massas escasseia e há por aí umas 'bimbas' que o fazem sem qualquer esforço, sugiro que a arma de arremesso seja outra com um formato mais ou menos semelhante...uma bazuca, por exemplo????....

susana disse...

Livra, que a mulher não se fica!

Tiago Taron disse...

"no dia em que chegaste cedo, chegaste tarde de mais", muito bom! [Carlos Ramos / Rádio Macau (Mix)]

paulofski disse...

Isto tá giro, tá! Já estou melhorzinho e nem precisei da canjinha, bastou-me cá vir e sorrir :)

Vício disse...

ainda gostava de ouvir uma gravação esta musica cantada por ti :D

Patti disse...

Oh rapariga, e não é que eu cheguei tarde mesmo? Tardíssimo, mas tarde até que o outro, o galdério deste fado.
Eu acho que os herdeiros do Carlos Ramos me bloquearam o computador e me descompensaram a net.
Fanou-se, estou sem ela, foi-se-me a bandida!

Quanto à parceria minha linda, dá-lhe forte! Eu bem sabai que podia contar contigo. Com rolo, sem rolo, com toutiço e sem ele. Bica-o com o galo e mais a cabidela!

Flip disse...

és castigadora Gi... isso não se faz! Vá lá, um pouco de boa vontade :-)

de dentro pra fora.... disse...

Bem,com sua liceça venho espreitar a sopa...adorei a letra reescrita a preceito, parabéns..

PAS[Ç]SOS disse...

Nunca é tarde para aqui chegar e conhecer uma boa sopa de letras que, ainda que evocando o fado na voz do Carlos Ramos, demonstra a manutenção de 'boa forma' da autora deste blog.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Olha, olha, vim da vizinha econfortado com uma sopinha de letras e apanho aqui outra... Vai marchar já, que está um frio dos diabos e eu venho descompensado lá da terra dos Vikings.