quinta-feira, 5 de novembro de 2009

HAVIA...

...um godo de apelido Godinho. Era um homem de visão. Era um visigodo Godinho.
O Godinho dedicou-se à manufacturação de godés e resolveu dar sociedade ao irmão, de apelido Godinho.
Tratou de registar a firma como Godinho e Irmão, Ldª. mas já havia uma. By God! Disse ele [Não se esqueçam que ele era um godo, descendente desse ancestral povo germânico, e não um godo, calhau].
Lembrou-se de registar a companhia como Godinho & Godinho, Ldª. Mas outro se tinha lembrado de coisa igual. Goddamn! [Não se esqueçam que ele era um godo, descendente desse ancestral povo germânico, e não um godo, calhau].
Já vos tinha dito que o Godinho era um godo de visão. Um v-i-s-i-g-o-d-o.
E com tintas de várias cores que tinha nos godés registou a cheio, God Bless him [eu também falo inglês], a sua firma com o nome de Bigodinho, Ldª.

6 comentários:

Vício disse...

até um dia que se converteu ao islamismo e adoptou o nome Al Godão...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

E deu usn bigodes à malta.
O comentário do Vício provocou-me uma enorme gargalhada. Muito bem apanhado!

Si disse...

E a próxima colaboração no bairro será entre Bigodinho e Algodão, sob o nome de '31 Vícios', onde se apresentará a história pessoal dos santos corruptos cá da terra, boa??

P.S. Pensando bem, é melhor arranjar outro nome: 31 é pouco, muuuuuito pouco.....

Hydrargirum disse...

Tu nao existes!!! Que imaginacao soberba!:)))

avogi disse...

Mas esta mulher não dorme só a pensar em trocadilhos! Boa, continua.

paulofski disse...

"Então e eu", reclama do Godofredo!